A preocupação da Samovis com Segurança é permanente.
Maior segurança também é resultado de:
  • Ruas limpas
  • Boa iluminação
  • Tráfego inteligente
  • Convivência social equilibrada
  • Educação e cultura
  • CONSEG saiba mais sobre esta entidade

    Conheça os Projetos sobre Segurança que a Samovis está conduzindo
  • Monitoramento Policial através de CFTV
  • 6.ª Companhia de Policiamento Militar
  • Campanha de desarmamento
  • Diga NÂO à Contravenção

Projeto de Revitalização da Campanha do Disque Denúncia

O objetivo desse trabalho é o de revitalizar e disseminar, principalmente junto às comunidades mais carentes, o uso do recurso Disque-Denúncia.
Este trabalho reúne os esforços das seguintes entidades, além da Samovis: Rotary Morumbi, ONG Instituto São Paulo Contra a Violência, 16º Batalhão da Polícia Militar, 6º Batalhão da Polícia Militar, CONSEG Portal do Morumbi, CONSEG Morumbi, União de Moradores de Paraisópolis e AMASUMO.
A Samovis nesse projeto está sendo representada pela sra. Cecília Eiras, também responsável pelo interfaceamento com o CONSEG Portal do Morumbi.

Disque Denúncia

Criado em 2000, em parceria com a Secretaria de Estado da Segurança Pública, o Disque Denúncia tem por objetivo facilitar e incentivar a participação dos cidadãos em programas que visam a redução da criminalidade e da violência, além de contribuir para aumentar a eficácia da polícia e do sistema de justiça criminal.

O sucesso deste programa, entretanto, depende tanto do engajamento da comunidade fornecendo informações à polícia, quanto do comprometimento da polícia e do sistema judicial em analisar e usar essas informações para identificar e processar criminosos, prevenindo assim muitos crimes.

Funcionamento


Ao ligar para o Disque Denúncia, não é preciso se identificar. O anonimato é garantido. Toda vez que alguém faz uma denúncia, recebe uma senha que poderá utilizar caso deseje saber quais providências foram tomadas ou fornecer novos dados para ajudar na investigação.
As informações são sempre sigilosas e uma equipe de policiais civis e militares analisa cada uma delas antes de encaminhar às delegacias ou batalhões.
As ligações para o número 0800 15 63 15 são gratuitas e podem ser feitas de qualquer parte da Grande São Paulo. O serviço funciona 24 horas por dia, inclusive nos feriados.

Para ligações de fora da Grande São Paulo, o telefone é (0XX11) 3272-7373.
Instituto São Paulo Contra a Violência
O Instituto São Paulo Contra a Violência é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, fundada em novembro de 1997 como resultado do Seminário São Paulo Sem Medo, com a missão de desenvolver políticas, programas e ações para reduzir a criminalidade e a violência, bem como aumentar a segurança dos cidadãos no estado de São Paulo.

Objetivos

Para realizar sua missão, o Instituto São Paulo Contra a Violência desenvolve projetos com objetivos de:
• melhorar os serviços de segurança pública;
• melhorar os serviços de justiça criminal e
• desenvolver programas sociais e culturais capazes de fortalecer a comunidade, melhorar a qualidade de vida da população e reduzir o risco de violência.
Monitoramento Policial através de CFTV

- Em que consiste:

• A SAMOVIS estuda e pesquisa a possibilidade de implantação de um sistema de monitoramento policial através de câmeras de vídeo instaladas nas ruas da nossa região.
• Este monitoramento estará vinculado ao policiamento militar, conferindo-lhe melhores condições de atuação
• sua central será instalada na futura sede da 6.ª Cia de Policiamento Militar
- Status do Projeto
• as características geográficas da região (subidas, descidas e ruas sinuosas), somadas à má qualidade da iluminação pública caracterizam-se como um grande desafio para o projeto.
• Felizmente hoje existem tecnologias que permitem o monitoramento em locais com essas características
• o que está sendo considerado tecnologicamente:
• zoom ótico com alcance de quase 2 mil metros
• sistema de transmissão e tratamento de imagem via TV a cabo e/ou Internet
• A Samovis está trabalhando num projeto unificado e de maior alcance em parceria com:
• Conselho Comunitário de Segurança, CONSEG Portal do Morumbi
• Associação de Moradores do Panamby
6.ª Companhia de Policiamento Militar -
Um trabalho Samovis
Nossas boas vindas à Capitã Silvia e seu efetivo
• 6a Companhia de Policiamento Militar instala-se na Rua Dep. João Sussumu Hirata, nº 51, provisoriamente

O resultado mais importante obtido pela Samovis na área de segurança

aconteceu em abril de 2002, quando foi aprovada e publicada, a criação da 6a Companhia de Policiamento Militar pertencente ao 16º Batalhão de Policiamento Militar Metropolitano, cobrindo as áreas do Portal do Morumbi, Jd. Monte Kemel, Paraisópolis, Vila Andrade, Jd. Morumbi e adjacências. Desde então, a Samovis, juntamente com as demais associações de moradores da área e o Conseg, vem negociando com a subprefeitura do Campo Limpo a cessão de uso de uma área situada na rua Deputado João Sussumo Hirata, para a construção da futura sede definitiva dessa companhia. Mas, enquanto isso não ocorre, foi encontrada uma solução provisória para que o bairro não ficasse sem esse apoio de segurança, apesar da companhia já estar desenvolvendo seu trabalho na área, embora estivesse sediada no Campo Limpo, o que implicava em algumas dificuldades.
A Capitã Silvia, responsável por essa companhia, nos conta o que isso representa para a população local e o que mais está sendo feito. E dá dicas de como cada um de nós pode colaborar com a melhoria da segurança. Leia a íntegra da entrevista.[clique aqui]

Histórico

• No final de 2002 foi publicado no DO do Estado a constituição da 6.ª Cia de Policiamento Militar para a nossa região
• Em 2001 a SAMOVIS estabeleceu uma parceria com o CONSEG Portal do Morumbi tendo, como um dos seus objetivos, a implantação de uma Cia de Policiamento Militar para a área de atuação da nossa Delegacia de Polícia, a 89.ª DP buscando supri-la com maiores recursos.
• Entre as ações destacamos:
• contato com o então Deputado Estadual Walter Feldman, que fez gestões junto ao Governo Estadual.
• reunião com o Secretário Estadual de Segurança da época Dr. Petreluzi
• O que representa a presença dessa companhia em nossa região?
• A presença dessa companhia aumenta o efetivo de policiais na rua e também o tempo de patrulhamento ostensivo. Além disso, a própria existência da Cia é um fator de inibição da ação dos criminosos.

CAMPANHA DO DESARMAMENTO 2005 NA CIDADE DE SÃO PAULO

• Para combater a violência, o Governo Federal e o Congresso aprovaram o Estatuto do Desarmamento. Uma atitude que todo o país esperava há mais de 10 anos.
• Esta campanha visa retirar de circulação armas que estão nas mãos de cidadãos comuns, e assim evitar homicídios decorrentes de discussões banais, como brigas em família, no trânsito, em bares ou motivados pela curiosidade de crianças com armas de fogo, que muitas vezes acaba em tragédia.
• A Campanha de Desarmamento vai até o dia 23 de junho de 2005. Depois deste dia, segundo o Estatuto do Desarmamento, será crime ter arma de fogo sem registro. É crime andar armado sem ter porte de arma.
Esta campanha está sendo veiculada através dos seguintes folhetos:
• “Participe da maior campanha de desarmamento já feita no País”
• “Não se entregue à violência. Entregue a sua arma”
o Frente
o Verso

POR QUE SE DESARMAR?

• Arma não traz proteção, segurança ou poder a ninguém. Ela só gera mais violência.
• Uma arma em casa causa acidentes e mortes e só traz prejuízos e tristezas.
• Ter uma arma em casa para se defender é uma ilusão. Ela pode ser roubada e cair nas mãos de bandidos.
• Seu filho pode encontrá-la e se machucar numa brincadeira. Ou matar alguém.
• Um instante de raiva pode se transformar em tragédia para a vida inteira. Uma arma muda muita coisa e quase sempre para pior.

OS DADOS COMPROVAM:


• Todo dia, 100 pessoas morrem no Brasil vítimas de arma de fogo.
• No Brasil, a cada dia morre pelo menos uma pessoa vítima de acidente com arma de fogo.
• Arma de fogo mata mais do que acidente de trânsito.
• 67% das mortes, entre 15 e 34 anos, são causadas por arma de fogo.
• 36 mil pessoas foram mortas por armas de fogo no Brasil em 2002.
• Quem possui uma arma de fogo em casa tem 57% mais chances de ser assassinado do que quem não possui.
• O sistema de saúde pública gasta cerca de R$ 12 mil com cada vítima de arma de fogo.
• A cada ano, só no Estado de São Paulo, 11 mil armas legais são roubadas ou furtadas e passam para as mãos de criminosos.

COMO ENTREGAR A ARMA?

A Campanha de Desarmamento vai até o dia 23 de junho de 2005. Depois deste dia, segundo o Estatuto do Desarmamento, será crime ter arma de fogo sem registro. É crime andar armado sem ter porte de arma.
PARA ENTREGAR SUA ARMA, VOCÊ DEVE SEGUIR O PROCEDIMENTO:
• Para garantir sua segurança no caminho, antes de sair de casa, peça nos postos de recolhimento uma guia de trânsito (um documento que lhe permite portar a arma em trânsito). A guia tem validade de um dia e só pode ser usada entre o local onde a arma está guardada e onde será devolvida.
o Para saber onde pegar a guia de trânsito e qual o posto de recolhimento de armas mais próximo de casa é só ligar 0800 729 0038 ou 3262-2237 ou consulte
POSTOS FIXOS DE RECOLHIMENTO DE ARMAS.

o Qualquer um pode entregar tranqüilamente a arma. Ninguém vai perguntar quem é o dono da arma e nem de onde ela veio.
• Leve sua arma descaracterizada e com a munição separada. Uma boa dica é enrola-la em um pedaço de papel ou jornal e coloca-la em uma sacola ou caixa de sapato. O importante é que ela não se pareça com uma arma.
• Ao entregar sua arma, não se esqueça de pedir um documento comprovando que ela foi entregue para a polícia naquela data. Guarde esse documento. Ele é a garantia da sua indenização.

INDENIZAÇÕES DE R$ 100,00 A R$ 300,00 POR ARMA

Além de ajudar a combater a violência, quem participa da campanha também recebe uma indenização por arma entregue. O valor depende do tipo de arma envolvida e vai de R$ 100,00 a R$ 300,00.
Ao devolver a arma, o cidadão deve pedir um comprovante da entrega. É este documento que garante o pagamento da indenização. É preciso indicar uma conta de banco, onde o dinheiro será depositado. Esta conta não precisa ser do dono da arma nem de quem a entregou.

POSTOS FIXOS DE RECOLHIMENTO DE ARMAS

GUARDA CIVIL METROPOLITANA
BASE COMUNITÁRIA DA SÉ
Praça da Sé, s/n – Centro
Tel: 3119-0374
COMANDO OPERACIONAL CENTRO/GCM
Rua da Consolação, 606 – Centro
Tel: 3258-6103
COMANDO OPERACIONAL LESTE/GCM
Estrada Velha de Mogi das Cruzes, 1860 – Burgo Paulista
Tel: 6146-4537
COMANDO OPERACIONAL NORTE/GCM
Rua João Luis Calheiros, 40 – Vila Brasilândia
Tel: 3277-0260
BASE COMUNITÁRIA/GCM
Cemitério São Luiz
Rua Antonio de Sena, 82 – Jardim São Luiz
Tel: 5510-0688
POLICIA FEDERAL
SUPERINTENDÊNCIA DA POLICIA FEDERAL
Rua Hugo D’Antola, 95 - Lapa
Tel: 3616-5310
AEROPORTO DE CONGONHAS

AEROPORTO INTERNACIONAL DE GUARULHOS

DIGA NÃO À CONTRAVENÇÃO

Senhores Proprietários e Síndicos
Conheçam essa campanha do CRECI e adotem-na em suas propriedades e condomínios.

Por que?
Porque assim estarão contribuindo para o aumento da segurança e para a depuração dos processos de negociação de imóveis, expurgando ainda a má conduta e o oportunismo que costumam se alojar nessas negociações.
Não entregue a chave de seu imóvel a corretores não credenciados!


alt


alt

Conheça o CAPÍTULO XIII Da Corretagem
NOVO CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO



alt
Sr. Síndico Conheça e divulgue o documento
COMUNICADO AOS CONDÔMINOS




alt